Boa Noite - 21:56:29 - Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014
 

| Home | Fale Conosco | Biblioteca Online | Organizações Parceiras | Publicações Acadêmicas | Loja Virtual |
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Transporte e Infraestrutura - Detalhes sobre essa informação
Título: E ainda insistem no trem bala...
Autor: por Samir Keedi
Data: 06/01/2012
Link: http://www.midiaamais.com.br/brasil/7570-samir-keedi
Artigo:
Fonte original:Diário do Comércio em 07/12/2011

Postado em Midia@Mais

Já escrevemos anteriormente sobre o TAV - Trem de Alta Velocidade, que o governo quer enfiar goela abaixo do povo brasileiro. Mais um dos desvarios que assola o atual governo, e que vem do anterior, da mesma estirpe. Parece bem Brasil mesmo. Queremos construir uma inutilidade.-, e que será um saco sem fundo, absorvendo recursos que não temos. Algo de especial deve haver nele, que não conseguimos enxergar.

Os primeiros valores davam conta de investimentos de cerca de 34 bilhões de reais para o governo e mais de 40 bilhões para empresários. Hoje o governo já fala em gastar mais de 40 bilhões – quando do primeiro valor, já havíamos dito que ficaria em uns 70 bilhões. Sem o Rachid, que ninguém é de ferro.

E sem os inevitáveis acréscimos. Resumindo, uns 100 bilhões de reais no total. Agora, já nem sabemos mais.

O trem bala será nosso maior elefante branco. Não servirá para absolutamente nada. A primeira ideia é a passagem (Campinas- Rio) custaria R$ 199,00. Agora, certamente, mais do que isso. Pelo nosso valor, mais realista, R$ 600,00. Ninguém o usará. Ninguém deixará de utilizar o avião, mais barato, para usar o desvario ambulante do governo inconsequente.

A menos que seja altamente subsidiado, o que significará que em vez de alguns pagarem o alto preço da passagem, todos os brasileiros o pagarão.

Isso depois de pagar o desvario oficial, o que acontecerá até o projeto ser abandonado – e de se ter gasto muito mais do que o País precisaria para ter todas as estradas federais em ordem.

Em nossa opinião, ele nem sairá do papel, para gáudio de todos. E, se sair, jamais será terminado. Solução pior. Ou melhor. Não sabemos.

O trem bala só atenderá um ridículo trajeto, de Campinas a São Paulo e Rio de Janeiro, o que, com certeza, em nada melhorará o trânsito das três cidades. Ele acabará sendo um "condomínio horizontal", parado em algum lugar do sudeste, servindo de moradia a sem tetos.

Temos de mudar isso e adaptá-lo para algo mais útil, como um trem e/ou metrô ligando Campinas a São Paulo, entre os três aeroportos que temos no estado. Na verdade, o que precisamos é de um trem que ligue quatro pontos, o que ajudaria muito mais.

O trem útil ligaria o centro de São Paulo aos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Viracopos. Indiretamente, todos com todos. Para isso, basta a construção de apenas duas pequenas linhas: uma ligando o centro de São Paulo a Campinas, passando pelo aeroporto de Viracopos e outra unindo os aeroportos de Congonhas e Guarulhos, com ambas se cruzando através de uma estação central. Esse desenho fará com que as duas linhas liguem os quatro pontos desejados.

Com isso, teríamos um forte reforço para o aeroporto de Viracopos, que deixaria de ser um fantasma quase desocupado e passaria a se integrar aos outros dois e todos eles com a cidade mais importante do País. Permitiria também conexões de voos entre eles, gerando uma verdadeira integração metropolitana no estado.

Temos um sistema de metrô com ligação à estação da Luz. e ainda que ele seja ridiculamente pequeno, liga uma boa parte da cidade.

Em conjunção com o sistema de trens, atingiria locais em que o metrô ainda não chegou.

É fácil imaginar o ganho para todos. Viracopos poderia se integrar ao sistema de forma definitiva – e é lá que o transporte aéreo deve crescer, pois tem o espaço e as possibilidades que a cidade de São Paulo e adjacências já não têm.

Uma ou duas novas pistas de pouso, quiçá três, em Viracopos, aliviariam o sistema São Paulo - Guarulhos por muitos anos, e sem necessidade de se construir o quarto aeroporto na região metropolitana. E, se algum dia precisássemos, poderia, quem sabe, ser construído mais à frente de Guarulhos, talvez próximo a Mogi das Cruzes .

Não seriam apenas os passageiros dos aviões que ganhariam. A cidade de São Paulo e a região metropolitana também. Um típico caso de que não é necessário que alguém perca para que alguém ganhe.

O trânsito da cidade de São Paulo teria um alívio sem precedentes. A maioria dos passageiros iria ao e voltaria do aeroporto sobre trilhos.

Os trabalhadores desta imensa cidade e região metropolitana poderiam usar essas duas linhas para ir para o trabalho diário, tirando das nossas vias públicas milhares de automóveis e um tanto de ônibus. Com as vias públicas que temos, poderíamos ficar muitos anos sem abrir novas.

E se o metrô pelo menos dobrar de tamanho, o que não é pedir muito, será o paraíso, o mesmo ocorrendo com os trens urbanos.

Podemos ainda sonhar um pouco mais. Quem sabe a linha ligando Viracopos à estação da Luz possa ser esticada até a Cidade de Santos. Temos milhares de paulistanos que trabalham na baixada e vice-versa. Esse trem aliviaria, inclusive, o trânsito de lazer das pessoas que descem às praias nos finais de semana.
© 2010 INSTITUTO LIBERDADE
Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
55 51 3384-7158 55 51 3384-6893
| Desenvolvido por SUPORTA Web |
Perfil do IL no Facebook Siga o IL no Twitter Comunidade do IL no Orkut