Boa Madrugada - 04:23:50 - Quarta-Feira, 16 de Abril de 2014
 

| Home | Fale Conosco | Biblioteca Online | Organizações Parceiras | Publicações Acadêmicas | Loja Virtual |
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Transporte e Infraestrutura - Detalhes sobre essa informação
Título: Empresas de transporte contestam
Autor: Publicado no jornal Correio do Povo
Data: 24/04/2011
Link: http://www.correiodopovo.com.br
Artigo:
O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Rio Grande do Sul (Setcergs), José Carlos Silvano, ressalta que a sobrecarga de caminhões é "coisa do passado". Segundo ele, os veículos bitrens e rodotrens foram lançados com o propósito de transportar mais cargas com menor custo operacional. "O sobrepeso constatado em 95% das autuações não excede a 300 quilos", garante. Segundo ele, o volume não chega a impactar nas rodovias.

"Queremos a pesagem efetiva para que haja comprovação de que os caminhoneiros não são os responsáveis pelos danos nas estradas", assinala.

Silvano afirma que é preciso combater a má qualidade da pavimentação nas rodovias do país. "Precisamos de políticas públicas que garantam maior fiscalização das obras de revitalização em andamento", salienta.

O dirigente do Setcergs argumenta que existem postos de pesagem abandonados no Rio Grande do Sul "porque a operacionalização foi inviabilizada pelo elevado custo operacional". "Estamos diante de um desleixo com relação ao patrimônio público", destaca. Silvano afirma ainda que basta percorrer as rodovias do Estado para encontrar também pontes inacabados e viadutos inacessíveis.
© 2010 INSTITUTO LIBERDADE
Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
55 51 3384-7158 55 51 3384-6893
| Desenvolvido por SUPORTA Web |
Perfil do IL no Facebook Siga o IL no Twitter Comunidade do IL no Orkut