Boa Noite - 21:39:39 - Sábado, 19 de Abril de 2014
 

| Home | Fale Conosco | Biblioteca Online | Organizações Parceiras | Publicações Acadêmicas | Loja Virtual |
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Tecnologia - Detalhes sobre essa informação
Título: China é melhor emergente em TI, segundo relatório global
Autor: Letícia Sorg, da Agência Estado
Data: 06/04/2012
Link: http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,china-e-melhor-emergente-em-ti-segundo-relatorio-global-,108645,0.htm
Artigo:
A conclusão é do Global Information Technology Report 2012, um estudo feito pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com o Insead

SÃO PAULO - A China é, entre os BRIC, o país mais avançado em Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). A conclusão é do Global Information Technology Report 2012, um estudo feito pelo Fórum Econômico Mundial em parceria com o Insead que avalia o uso de novas tecnologias e seu impacto para as economias de 142 países.

A China ocupa a 51.ª posição no ranking de "networked readiness", que considera todos os dados sobre acesso, uso e impacto da tecnologia nos países. A Rússia vem em seguida, na 56.ª colocação. O Brasil está em 65.º lugar, à frente apenas da Índia, que vem na 69.ª posição. O líder do ranking é a Suécia, seguida de Cingapura. Os Estados Unidos estão em oitavo lugar, e o Reino Unido, em décimo.

Apenas um pouco acima da média dos países avaliados, o Brasil tem um grande uso de TIC nas empresas e níveis razoavelmente bons de capacidade tecnológica em alguns segmentos de sua indústria, o que garante um desempenho relativamente bom de inovação em produtos e serviços e eleva a colocação geral do País. Mas a burocracia para criar novos negócios, os altos impostos, as altas tarifas de celulares e a falta de qualificação da população para lidar com as novas tecnologias são empecilhos para o desenvolvimento do País no setor.

A favor da China, estão os baixos custos dos serviços de telefonia móvel, a melhor qualidade de seu sistema educacional e os procedimentos mais simples para abrir um negócio. Outro ponto que eleva a posição do país asiático no ranking é o uso e o grau de prioridade da tecnologia para o governo chinês. O dado, porém, não pode ser visto apenas como positivo, uma vez que boa parte das inovações tecnológicas é usada para o controle da comunicação entre os dissidentes do país.

A diferença de resultado entre os dois países significa que, enquanto o Brasil está em um nível de TIC compatível com os países emergentes, a China já é considerada avançada em relação às Tecnologias de Informação e Comunicação. Essa distinção, mais do que uma mera classificação, tem reflexos no impacto econômico da digitalização. Quanto mais avançado o estágio de digitalização, maior o impacto, na economia, de melhorias no acesso e no uso de tecnologia.

Para países com acesso restrito a tecnologia - um estágio anterior ao do Brasil -, um aumento de 10% na digitalização gera um aumento de 0,5 ponto porcentual (pp) no PIB per capita. A mesma melhora de digitalização produz um aumento de 0,62pp no PIB per capita de países de economia digital avançada, como a China.

A digitalização também tem efeitos positivos na capacidade de inovação e de criação de empregos: um aumento de 10% no acesso e no uso de tecnologia reduz em 0,84 ponto porcentual a taxa de desemprego de um país.
© 2010 INSTITUTO LIBERDADE
Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
55 51 3384-7158 55 51 3384-6893
| Desenvolvido por SUPORTA Web |
Perfil do IL no Facebook Siga o IL no Twitter Comunidade do IL no Orkut