Bom Dia - 09:10:37 - Segunda-Feira, 21 de Abril de 2014
 

| Home | Fale Conosco | Biblioteca Online | Organizações Parceiras | Publicações Acadêmicas | Loja Virtual | 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Notícias - Detalhes sobre essa notícia
Título: Índice de Qualidade Institucional 2011 - 3a edição
Autor: Margaret Tse
Data: 02/05/2011
Link:
Notícia:
O Instituto de Estudos Empresariais junto com o Instituto Liberdade lançam, em Porto Alegre, o Índice de Qualidade Institucional 2011, no dia 09 de maio de 2011, com o apoio da International Policy Network de Londres, que editou o relatório.

O índice foi organizado pela International Policy Network (IPN- Londres) e o autor do índice é Martín Krause, diretor da CIMA, Centro de Investigaciones de Instituciones y Mercados de Argentina (Centro de Pesquisas de Instituições e Mercados da Argentina) e da ESEADE, Escuela Superior de Economía y Administración de Empresas (Escola Superior de Economia e Administração de Empresas).

Décadas atrás, quando o Prêmio Nobel de Economia, Milton Friedman, foi consultado sobre o que deviam fazer os países para melhorar seus planos de desenvolvimento econômico, ele disse três coisas: “privatizar, privatizar, privatizar”. Anos depois, muitos países latino-americanos fizeram exatamente isso, seguindo com cautela as recomendações dadas pelo Consenso de Washington. No entanto, os resultados foram desalentadores. Os processos de privatização foram marcados pela corrupção, o clientelismo, a pouca transparência e a permanência de mercados cativos. Em face dessa realidade, alguns tempos depois, Friedman afirmou que o mais importante para os países em desenvolvimento são “as instituições, as instituições, as instituições”.

Denominamos “instituições” as normas que nos permitem coordenar as ações dos indivíduos na sociedade, as que nos outorgam previsibilidade em relação às ações dos outros. Um país que forneça regras claras e previsíveis contará com uma vantagem enorme na hora de estabelecer um clima favorável para o funcionamento de uma economia de mercado e melhorar a qualidade de vida dos seus habitantes. Além disso, o processo de globalização que estamos atravessando submete os países à concorrência e eles concorrem oferecendo “marcos institucionais” para atrair os recursos cuja mobilidade tem acelerado a globalização.

Quais são esses marcos institucionais e qual é o desempenho da América Latina? Neste interessante estudo, o economista argentino Martín Krause analisa diversas variáveis e compila vários indicadores com vistas as produzir um “Índice de Qualidade Institucional”. Esse índice nos dá luz sobre quais são os países da região que contam com os marcos institucionais mais fortes e que estão em melhores condições de aproveitar as oportunidades oferecidas pela globalização.

Finalmente, Krause analisa a raiz “institucional” da atual crise econômica, na que se misturaram em forma explosiva a manipulação da taxa de juros, a expansão do crédito por parte da autoridade monetária e o impulso governamental para conceder hipotecas por todos os lugares, gerando a bolha que finalmente se desmanchou. Em decorrência da crise, o fluxo de investimento estrangeiro direto vai sofrer uma redução, mas Krause afirma que os países com melhor qualidade institucional serão capazes de atrair um maior volume de investimentos. A ligação entre qualidade institucional e investimentos é muito clara. Respeitar o direito de propriedade e os contratos, um governo limitado e com pouca corrupção, uma moeda estável e mercados abertos, um sistema judiciário que funcione e um sistema de controles e contrapesos, tudo isso resulta em uma garantia para os investimentos e atrai o capital que, cada vez mais, tem todo o mundo para escolher onde fixar-se.

Sobre a International Policy Network - A IPN é uma organização sem fins lucrativos, com sede no Reino Unido e filial nos Estados Unidos. Ela promove o papel das instituições em determinados debates chaves sobre políticas internacionais: o desenvolvimento sustentado, a saúde, a globalização e o comércio. Ela trabalha com acadêmicos, eruditos, jornalistas e pesquisadores em políticas públicas, de todos os continentes.

O índice estará à disposição para download a partir do dia 10 de maio de 2011, no portal do Instituto Liberdade: www.il-rs.org.br
© 2010 INSTITUTO LIBERDADE
Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
55 51 3384-7158 55 51 3384-6893
| Desenvolvido por SUPORTA Web |
Perfil do IL no Facebook Siga o IL no Twitter Comunidade do IL no Orkut