Boa Tarde - 16:03:17 - Quinta-Feira, 24 de Abril de 2014
 

| Home | Fale Conosco | Biblioteca Online | Organizações Parceiras | Publicações Acadêmicas | Loja Virtual |
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Combate à Corrupção - Detalhes sobre esse artigo
Título: Cursos usavam nome de tribunal
Autor: por GIOVANI GRIZOTTI | RBS TV
Data: 12/08/2010
Link: http://www.zerohora.com.br
Artigo:
Palestras de técnicos do TCE eram usadas para dar uma aparência de seriedade aos encontrosEventos fechados e com pouca divulgação eram a mais nova tática de empresas que promovem cursos para vereadores. Parlamentares responsáveis por indicar participantes nesses eventos receberiam comissões. Até técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) eram convidados para palestrar com o objetivo de dar uma aparência de seriedade aos seminários.

O dono da empresa Sibram, Ilvo Rohers, disse que quem fazia o convite ao Tribunal de Contas não é era o Sibram, mas as Câmaras que eram sede desse tipo de seminário. Um ofício enviado ao TCE pela Câmara de Horizontina em julho de 2009 confirma: o texto pede a liberação de um auditor para palestrar num seminário. No documento, o secretário executivo da Câmara dá a entender que é o Legislativo quem está organizando o evento. Mas o curso foi promovido pelo Sibram.

A mesma tática não deu certo em Capão da Canoa, onde o Sibram realizou seminário em março de 2010. A Câmara enviou ofício ao tribunal convidando um técnico ou auditor para dar palestra no evento que alegava estar promovendo. Mas no convite foi divulgado o telefone do dono do Sibram como contato. O tribunal chegou a autorizar a palestra do auditor, mas descobriu a manobra a tempo.

– Imediatamente eu determinei que se cancelasse aquela autorização para que o tribunal não participasse de uma iniciativa que, aparentemente, não estava revestida de caráter público – afirma o conselheiro Cezar Miola, presidente em exercício do TCE.

TCE diz que desautoriza uso de seu nome por empresas

Em nota colocada no seu site, ontem, o TCE informou que desautoriza a utilização do seu nome como patrocinador de eventos realizados por entidades particulares e que fará auditorias em busca de possíveis desvios.

“Nos casos em que for constatado o uso indevido do nome da instituição, ou a ocorrência de fraudes, o tema também será levado ao conhecimento do Ministério Público Estadual, para fins da ação cível ou criminal, bem como à Procuradoria-Geral do Estado, objetivando a adoção das medidas judiciais cabíveis.” Segundo o TCE, é vedado aos seus técnicos proferirem palestras em nome da instituição.

No ano passado, a Câmara de Capão da Canoa foi a segunda que mais inscreveu assessores e vereadores em cursos do Sibram, em um total pago de R$ 34.740. O presidente do Legislativo da cidade, Dilceu Lopes (PDT), não retornou o pedido de entrevista. Já o vereador Álvaro Callegaro (PP), presidente da Câmara de Horizontina em 2009, declarou que foi feita uma “parceria” com o Sibram e que não houve ilegalidades no curso.

giovani.grizotti@rbstv.com.br
© 2010 INSTITUTO LIBERDADE
Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
55 51 3384-7158 55 51 3384-6893
| Desenvolvido por SUPORTA Web |
Perfil do IL no Facebook Siga o IL no Twitter Comunidade do IL no Orkut