| INSTITUTO LIBERDADE |
| Voltar ao Portal/Return to Home
| Livraria Virtual/Online Library
| Fale Conosco/Contact Us
| Biblioteca/Library
| LIBRARY MENU |
| Periódicos/Periodicals
| Livros/Books
| Vídeos
| E-Books
| Cd/Dvd/Vhs
| BUSCAS NO GOOGLE |

 
| LIVROS : : : : :
Abaixo as informações referentes ao Livro selecionado. Dúvidas entre em contato com o Instituto Liberdade.
Nome: Castilhismo - Uma filosofia da República
Autor: Ricardo Vélez Rodríguez
Situação: Disponível
Categoria: Ciências Políticas/Political Sciences
Editora: Universidade de Caxias do Sul
Classificação: 321
Cutter: R696c
Volume:
ISBN:
Exemplar:
Idioma: Português
Sinopse:
Este ensaio caracteriza o castilhismo como uma filosofia política que, inspirando no positivismo, substituiu a idéia liberal do equilíbrio entre as diferentes ordens de interesses, como elemento fundamental na organização da sociedade, pela idéia da moralização dos indivíduos através da tutela do Estado. Para a filosofia política castilhista, como para todo o pensamento positivista, a falência da sociedade liberal consistia em basear-se nas transações empíricas fruto da procura dos interesses materiais. As críticas dos castilhistas aos liberais brasileiros inspiram-se neste ponto. A polêmica sustentada por Castilhos no Congresso Constituinte (1891) é exemplo ilustrativo: o líder gaúcho propunha a instauração de um regime moralizador, baseado não na preservação de sórdidos interesses materiais, mas fundado nas virtudes republicanas. Como a proposta não foi ouvida pelos constituintes, decidiu encarnar sua idéia no governo do Rio Grande do Sul, e o conseguiu, com a elaboração e a prática da Constituição Estadual de 14 de julho de 1891, que se perpetuaria no Rio Grande até 1930. Num momento em que o país pretende consolidar a abertura democrática, é de vital importância fazer um balanço aprofundado nas raízes históricas do nosso autocratismo. Nesse contexto, o estudo do castilhismo é exigência de primeira ordem, pois sem ele não poderemos compreender o fenômeno do autoritarismo que se consolidou com o Estado Novo de Getúlio e que teve como fonte inspiradora o castilhismo em que se formou o líder são-borjense. Castilhos não foi um teórico da política. Foi mais um político que deu início a um "modus agendi" e a uma conceituação muito pessoal sobre o exercício do poder. As peculiaridades do autoritarismo castilhista não podem ser explicadas através simples referência à filosofia de Augusto Comte. Castilhos inspirou-se nele, mas deu ao seu conceito de política traços inéditos, frutos da sua personalidade e das condições concretas que viveu o Partido Republicano Rio-Grandense, na sua luta com a antiga elite dirigente sul-rio-grandense.
© 2008 Instituto Liberdade - Av. Ipiranga 6681 – Prédio 96B, Conj. 107 - Tecnopuc - CEP 90619-900 - Porto Alegre, RS, Brasil
Vídeos Fale Conosco Livros Periódicos